Organizar a resistência e reforçar o chamado à greve geral contra a Reforma da Previdência

Temer acaba de lançar uma grande campanha publicitária nacional para tentar ganhar a população em favor da reforma da previdência com o eixo de que “tem muita gente no Brasil que trabalha pouco, ganha muito e se aposenta cedo”, alegando que os servidores públicos são privilegiados, sendo, portanto, necessária a reforma para garantir o direito à aposentadoria de todos os trabalhadores.

A reforma vai ser alterada, porém mantendo sua essência, ou seja, o aumento da idade mínima para homens (65) e mulheres (62) e acabar de vez com a paridade entre ativos e aposentados no serviço público. De conteúdo, vai permitir aposentadoria com 15 anos de contribuição (combinado com idade mínima), mas com salário de menos de 50% da ativa, elevando a aposentadoria integral para um período de contribuição de 44 anos, mais a idade mínima. A intenção é de aprovar tudo ainda neste ano.

Neste momento, não se apresenta nenhuma reação por parte da maioria das Centrais Sindicais. Ninguém está fazendo nada!

É preciso e necessário que os trabalhadores deem uma resposta urgente. É urgente também a convocação da Greve Geral, como aprovado pelas Centrais e divulgada em nota do dia 10 de novembro. Como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já fala em marcar a votação para o dia 6/12, torna-se mais urgente ainda a convocação dessa Greve Geral.

Nesse sentido, orientamos as entidades e movimentos da CSP-Conlutas a construir imediatamente um amplo processo de discussão nas bases, realizando reuniões e plenárias nos estados, e repercutir em todos os meios de comunicação de nossas entidades o que está em jogo neste momento, ou seja, o fim da aposentadoria. Preparar a resistência contra esse possível ataque e também tomar iniciativas na unificação com os demais setores de fora da Central, entidades e organizações do movimento.

Para explicar a nova investida do governo em relação à reforma da previdência, a SEN vai produzir vídeos, virais, memes e amplo material de propaganda para esclarecer os efeitos nocivos desse projeto.

 

fonte: http://cspconlutas.org.br/2017/11/organizar-a-resistencia-e-reforcar-o-chamado-a-greve-geral-contra-a-reforma-da-previdencia/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *